Daniel Pessoa, DJ, música eletrônica e influência brasileira – Rio Center

Daniel Pessoa, DJ, música eletrônica e influência brasileira

Ele não só amava os Beatles e os Rolling Stones. Daniel Pessoa, DJ e produtor, é a cena da música eletrônica da cidade. House é a sua praia. Ele e seu núcleo instituíram um projeto de música livre. Longe das mais pedidas, fizeram o Mandaca. Que vem deles e de mandacaru, do tupi-guarani, Natal, Brasil.

 

RC: Quatro batidas fazem um som?

DP:  E uma revolução sonora.

RC: O músico é…

DP: Um mensageiro.

RC: Por que você toca?

DP: Porque a dança é o meu maior vício.

RC: Para trilha sonora da vida, ouvir…

DP: De tudo e Depeche Mode.

RC: Do que o silêncio é capaz?

DP: De propor respostas.

RC: Apertar o play…

DP: Para interagir com a pista.

RC: Qual a maior ousadia sonora da vida?

DP: Oferecer música a estereótipos.

RC: Quem precisa ser ouvido?

DP: O brasileiro.

RC: Música é…

DP: Até o som do coração que pulsa.

RC: E estilo?

DP: A expressão no mundo.

RC: O que é inaudível?

DP: O desrespeito.

RC: A melhor festa é…

DP: O encontro do público com o som.

RC: Com quantas batidas se faz um set perfeito?

DP: 123 por minuto.

RC: Quem ouve Daniel Pessoa, o que ouve?

DP: Música eletrônica e influência brasileira.

RC: Qual o seu estilo?

DP: House. Nele descobri a música eletrônica.

RC: E o ritmo e a melodia?

DP: Ritmo é paixão; melodia, amor.

RC: O que você está escutando agora?

DP: O som que vem de dentro.

 

Texto publicado na 13ª edição da Revista Rio Center.

Comece a digitar e aperte Enter para buscar

Carrinho